top of page
  • Instagram
  • Facebook
  • Youtube
  • giseli463

Exposição e julgamento de raças zebuínas fazem da EXPO Rio Preto a vitrine da pecuária brasileira

a edição comemorativa de 60 anos, mais de mil animais vão passar pela pista de julgamento do Recinto de Exposições no primeiro turno




A grande vitrine da pecuária brasileira, em que animais são reconhecidos pela qualidade e apuro genético de sua raça e criadores ganham destaque no mercado, as exposições e os julgamentos de bovinos movimentam o primeiro turno da 60ª EXPO Rio Preto, de 27 de setembro a 1 de outubro, no Recinto de Exposições Alberto Bertelli Lucatto, em São José do Rio Preto. Ao longo do primeiro turno, mais de mil animais vão passar pela pista de julgamento da EXPO Rio Preto, entre raças zebuínas e pôneis, que participam da feira agropecuária pela primeira vez. Realizadas em parceria com a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), a exposição e julgamento de bovinos de corte da EXPO Rio Preto mobilizou criadores de dez raças zebuínas: Nelore, Nelore Mocho, Nelore Pelagem, Tabapuã, Guzerá, Indubrasil, Santa Gertrudis, Simental, Sindi e Senepol. Cada uma dessas raças possui suas particularidades físicas e potencialidades para o mercado da pecuária, seja para a produção de carne, leite ou melhoramento genético. Por isso, os julgamentos realizados em feiras agropecuárias de grande projeção como a EXPO Rio Preto são, para os criadores, uma excelente oportunidade para serem vistos e reconhecidos na pecuária brasileira e fomentar novos negócios. “Participar de uma feira como a EXPO Rio Preto é muito importante não só para oportunizar negócios por meio dos julgamentos e das exposições, mas também para divulgar a raça. A raça Sindi cresceu muito em São Paulo nos últimos anos, revelando-se um bovino versátil por ter dupla função, tanto para carne como para leite. Com certeza, a EXPO contribuiu para esse crescimento”, comenta o pecuarista Adaldio José Castilho Filho, vice-presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Sindi (ABCSindi). Na 60ª EXPO Rio Preto, a ABCSindi realiza a 20ª ExpoSind Brasil – Exposição Nacional da Raça Sindi, que terá a participação de 250 animais de 30 criadores de vários estados, principalmente das regiões sudeste e nordeste. “O Sindi é uma raça que cresce a cada ano. Em 2022, foi a que mais teve venda de sêmen de animais e registros na ABCZ”, comenta Castilho Filho, cuja família, da cidade de Novo Horizonte (SP), é pioneira na criação do Sindi no País. O julgamento que promete movimentar a pista é o da raça Nelore, que marca presença com cerca de 250 animais. Quando somados a participação das raças Nelore Mocho e Nelore Pelagem, que terá julgamento na EXPO Rio Preto pela primeira vez, o número passa dos 350 animais, um recorde na história da maior feira pecuária de São Paulo. Outra raça com participação expressiva na EXPO Rio Preto é o Tabapuã, que terá na pista de julgamento mais de 100 animais, pertencentes a criadores de estados como Amazonas, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo. “Participar da EXPO Rio Preto é uma experiência extremamente gratificante para nós. Este evento nos permite não apenas mostrar a evolução da raça Tabapuã, mas também nos conectar com uma cidade que valoriza e impulsiona o setor pecuário”, comenta João Trivelato, presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Tabapuã (ABCT). Também passarão pela pista de julgamento da EXPO 70 bovinos da raça Guzerá, 35 animais da Indubrasil, 35 da raça Santa Gertrudis e 50 bovinos da Simental. A raça Senepol é representada por 30 animais, que estarão apenas expostos, sem a realização de julgamento. Do campo à universidade

Realizar uma feira que envolve a participação de animais mobiliza uma grande estrutura com diferentes tipos de instituições e profissionais. Desde que um animal entra no Recinto de Exposições até a sua saída, um rígido protocolo sanitário é cumprido para garantir seu bem-estar ao longo do evento. Por isso, a EXPO Rio Preto é uma excelente oportunidade de estágio para universitários da área veterinária, que podem vivenciar na prática o trato com os animais no ambiente de um evento. A 60ª edição da feira agropecuária tem a participação de aproximadamente 150 estudantes dos cursos de Medicina Veterinária das universidades Unirp, Unilago e Unorte. “É uma atividade prática muito importante para o universitário, que tem contato direto com o criador, o tratador e o animal em si. Os estagiários participam dos julgamentos, da recepção dos animais, ficam por dentro das documentações necessárias para seu transporte e os registros da raça. É um panorama completo de uma feira agropecuária”, destaca João Morelli Júnior, professor da Unirp. Na 60ª EXPO Rio Preto, além dos estagiários, a Unirp disponibiliza a estrutura de seu Hospital Veterinário para qualquer eventualidade que possa ocorrer com algum animal ao longo do evento. Assim, a feira se transforma também em sala de aula, compartilhando seu know how de sucesso com a universidade. A Unilago participa com seus estagiários pela primeira vez da EXPO Rio Preto. Segundo a coordenadora do curso de Medicina Veterinária, Alessandra Cortezi, trata-se de uma oportunidade única para os alunos conhecerem de perto as características, o comportamento e o manejo de cada tipo de animal. Já a coordenadora do curso de Medicina Veterinária da Unorte, Roselene Nunes da Silveira, destaca a área de melhoramento genético como o grande conhecimento que a EXPO Rio Preto tem para compartilhar com os universitários.


“A EXPO é um grande banco genético, pois o que cada julgamento traz é o que há de mais apurado de um animal. É um segmento que nunca tem crise e é uma ótima oportunidade para construir uma carreira na Medicina Veterinária”, enfatiza.

19 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page